Link para o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento
Link para o Portal do Governo Brasileiro

 

Pragas de trigo armazenado

Autor(es):  Irineu Lorini

  Buscar  

 

   Busca Avançada

Os principais insetos que afetam grãos armazenados estão divididos em insetos primários, pois têm a capacidade de danificar grãos sadios causando assim, danos severos ao grão atacado, e insetos secundários que precisam do dano primário para atacar o grão. Ambos os grupos, além do dano direto causado pelo consumo do grão, ocasionam perdas que são consequência da presença de fragmentos de insetos nos subprodutos alimentares, além de contribuírem para a deterioração da massa de grãos, contaminação fúngica, presença de micotoxinas.

Sitophilus
Sitophilus sp. (a) adulto; (b) larva. Foto: Paulo Pereira
Rhyzopertha
Rhyzopertha dominica adulto. Foto: Paulo Pereira

Fungos de armazenamento são constituintes normais da película de grãos e sementes e tendo condições de temperatura e umidade favoráveis ao seu desenvolvimento, como a presença e danos de insetos, iniciam o processo de deterioração causando danos no germe, alterações nutricionais, perda de matéria seca e presença de micotoxinas.

Medidas preventivas

- Armazenamento de trigo com teor de umidade máximo de 13%;

- Higienização e limpeza de silos, depósitos e equipamentos;

- Eliminação de focos de infestação mediante a retirada e a queima de resíduos do armazenamento anterior;

- Pulverização das instalações que receberão os grãos, usando-se os produtos indicados para este fim e registrados no MAPA para controle de insetos-praga de grãos armazenados;

- Atenção para evitar a mistura de lotes de grãos não infestados com outros já infestados, dentro do silo ou armazém.

Tratamento curativo

Fazer o expurgo dos grãos, caso apresentem infestação, usando produtos cujo princípio ativo é a fosfina, registrados no MAPA para controle de insetos-praga de grãos armazenados. Esse processo deve ser feito em armazéns, em silos de concreto, em câmaras de expurgo, em porões de navios ou em vagões, sempre com vedação total, observando-se o período de exposição necessário para controle de pragas e a dose indicada do produto.

Tratamento preventivo de grãos

O tratamento com inseticidas protetores de grãos deve ser realizado no momento de abastecer o armazém e pode ser feito na forma de pulverização na correia transportadora ou em outros pontos de movimentação de grãos, com emprego dos inseticidas químicos líquidos, ou pelo polvilhamento com o inseticida natural, a base de terra de diatomáceas, na formulação pó seco. Este último é um inseticida proveniente de algas diatomáceas fossilizadas, que é extraído e moído em um pó seco de baixa granulometria. Age no inseto por contato, causando a morte por dessecação, não sendo tóxico e não alterando as características alimentares dos grãos. É importante que haja uma perfeita mistura do inseticida com a massa de grãos. Estes inseticidas também podem ser usados na pulverização ou no polvilhamento para proteção de grãos armazenados em sacaria, na dose registrada e recomendada.

Monitoramento da massa de grãos

Uma vez armazenado, o trigo deve ser monitorado durante todo o período em que permanecer estocado. O acompanhamento de pragas que ocorrem na massa de grãos armazenados é de fundamental importância, pois permite detectar o início da infestação que poderá alterar a qualidade final do grão. Esse monitoramento tem por base um sistema eficiente de amostragem de pragas, independentemente do método empregado, e a medição das variáveis, temperatura e umidade do grão, que influem na conservação do trigo armazenado.

Manejo Integrado de Pragas de Trigo Armazenado

Para eficácia do processo de controle de pragas, sugere-se adotar o Manejo Integrado de Pragas de Grãos Armazenados (MIPGRÃOS), que visa integrar todas as formas exeqüíveis e técnicas compatíveis http://www.cnpt.embrapa.br/pesquisa/entomologia/mip.htm com o controle de pragas na unidade armazenadora de grãos. Compreende a capacitação dos encarregados de armazenagem e da administração da organização demandante, bem como o diagnóstico integral da unidade armazenadora, das pragas que causam danos aos grãos, das medidas preventivas como a limpeza e higienização das instalações, do emprego de métodos de controle preventivo e curativo, de um sistema de monitoramento de pragas e da massa de grãos, e das estratégias de manutenção da qualidade do grão.


Informações Complementares:

Adicionar à Pasta Mecanismos de resistência das pragas de grãos armazenados Apresenta os mecanismos envolvidos na resistência de insetos a inseticidas químicos e orgânicos: redução da penetração do inseticida pela cutícula do inseto, detoxificação ou metabolização do inseticida por enzimas, redução da sensibilidade no sítio de ação do inseticida no sistema nervoso, alteração comportamental provocada pelos químicos. Mais Detalhes
  Hiperbólica
 

Pasta de documentos
Adicionar
Visualizar

   
Topo | Página Inicial | Voltar
Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária - Embrapa
Todos os direitos reservados, conforme Lei n° 9.610.
Embrapa
Parque Estação Biológica - PqEB s/n°.
Brasília, DF - Brasil - CEP 70770-901
Fone: (61) 3448-4433 - Fax: (61) 3347-1041