Link para o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento
Link para o Portal do Governo Brasileiro

 

Nutrientes

Autor(es):  Maria Auxiliadora Coêlho de Lima

  Buscar  

 

   Busca Avançada

Os nutrientes mais importantes para a cultura da mangueira são nitrogênio, fósforo, potássio, cálcio, magnésio, boro e zinco. Os requerimentos destes e dos demais nutrientes, bem como a importância de cada um na produção e/ou qualidade dos frutos são descritos a seguir.

Magnésio

Embora o magnésio (Mg) não seja exigido em grandes quantidades, sua deficiência poderá provocar redução no desenvolvimento, desfolha prematura e, em decorrência, diminuição da produção. Adubações com altas doses de cálcio e de potássio diminuem a absorção de magnésio, motivo pelo qual deve ser verificada, antecipadamente, a relação potássio/cálcio/magnésio.

Zinco

Plantas deficientes em zinco apresentam encurtamento dos entrenós, além do aumento da espessura do limbo foliar, que se torna quebradiço. Os distúrbios denominados malformação floral ou “embonecamento” e malformação vegetativa ou “vassoura de bruxa” podem, em parte, serem confundidos com a deficiência de zinco, uma vez que as plantas emitem panículas pequenas, de forma irregular, múltiplas e deformadas.

Fósforo

O fósforo (P) é necessário na divisão e crescimento celular da planta. É especialmente importante no desenvolvimento radicular, comprimento da inflorescência, duração da floração, tamanho da folha e maturação do fruto. Influencia positivamente na coloração da casca, uma característica de grande importância para o mercado consumidor.

Ferro

Embora não seja constituinte da molécula de clorofila, o ferro participa da sua formação. A quantidade de clorofila parece estar relacionada com o conteúdo desse micronutriente prontamente solúvel na planta. O ferro é também componente dos citocromos e ativador de enzimas, participa de processos de oxidação que liberam energia de açúcares e amidos, de reações de conversão de nitrato em amônio na planta e da síntese de proteínas. Sua deficiência se manifesta pela clorose típica em folhas novas, através da formação de um reticulado verde das nervuras, em contraste com o amarelado do limbo foliar. A carência de ferro pode ocorrer em solos ácidos, devido ao excesso de manganês, bem como em solos que apresentam pH elevado.

Boro

O boro (B) é importante para a polinização e desenvolvimento de frutos e essencial para a absorção e uso do cálcio. A deficiência de boro resulta em pobre florescimento e polinização, além de frutos de tamanho reduzido. Os sintomas de deficiência são mais visíveis durante o florescimento, produzindo inflorescências deformadas, brotações de tamanho reduzido, com folhas pequenas e coriáceas. Poderá ocorrer ainda redução significativa em termos de produção, uma vez que a gema terminal poderá morrer ou, então, baixa germinação do grão de pólen e o não desenvolvimento do tubo polínico. A morte de gemas terminais resulta na perda da dominação apical, induzindo assim a emissão de grande número de brotos vegetativos, originados das gemas axilares dos ramos principais. Deve-se tomar extremo cuidado com as quantidades de boro aplicadas, uma vez que o limite entre deficiência e toxicidade é muito próximo. A toxidez de boro causa queima das margens e queda das folhas.

Cloro

O cloro não participa de nenhum composto orgânico para que seja considerado essencial, mas é necessário à fotólise da água, reação que ocorre durante a fotossíntese. Não existem informações sobre a ocorrência de deficiência no campo, uma vez que a própria água contém cloro. Além disso, o cloreto de potássio, usado como fonte de potássio, serve como fonte direta deste elemento.

Existem evidências de efeitos tóxicos causados pelo excesso do cloro em mangueira. Os primeiros sintomas caracterizam-se por necrose dos tecidos nas margens próximas ao ápice das folhas mais velhas. Posteriormente, com uma toxicidade mais severa, a lâmina foliar torna-se totalmente afetada.

Nitrogênio

O nitrogênio (N) é um dos nutrientes mais importantes para a mangueira e exerce um importante papel na produção e na qualidade dos frutos. Seus efeitos se manifestam principalmente na fase vegetativa da planta e considerando a relação existente entre surtos vegetativos/emissão de gemas florais/frutificação, sua deficiência poderá afetar negativamente a produção. Mangueiras adequadamente nutridas com nitrogênio poderão emitir regularmente brotações que, ao atingirem a maturidade, resultarão em panículas responsáveis pela frutificação. Nitrogênio em excesso pode aumentar a susceptibilidade a desordens fisiológicas, tais como colapso interno, a doenças pós-colheita, e, se for aplicado no momento errado, pode prejudicar o florescimento. Altos teores de nitrogênio podem, ainda, deixar os frutos verdes, ou manchados de verde, o que diminui o seu valor de mercado.

Enxofre

O enxofre é exigido em pequenas quantidades, mas faz parte de alguns aminoácidos essenciais como metionina, cistina e cisteína, de certas vitaminas e da coenzima A, sendo, também, um ativador de enzimas.

Na região do Submédio São Francisco, ainda não foram constatados sintomas de deficiência desse nutriente, uma vez que a disponibilidade do nutriente nos solos é capaz de satisfazer as necessidades da planta. Além disso, a incorporação de fertilizantes químicos e orgânicos ao solo e a utilização de defensivos contendo enxofre, garantem um suprimento adicional desse nutriente para a cultura.

Cálcio

O cálcio (Ca), juntamente com o nitrogênio (N), é um nutriente exigido em grandes quantidades pela mangueira. O cálcio participa do desenvolvimento celular da planta e dos frutos. Ele influencia na firmeza e na vida pós-colheita dos frutos. Baixos níveis de cálcio estão associados com o colapso interno. Os períodos críticos para a absorção de cálcio são durante o fluxo pós-colheita e o desenvolvimento inicial dos frutos. O cálcio é melhor absorvido pelo sistema radicular. Aplicações foliares de cálcio não tem sido eficientes uma vez que ele é praticamente imóvel na planta.

Potássio

O potássio (K) exerce um importante papel na fotossíntese e produção de amido, na atividade das enzimas e na resistência da planta a doenças. Ele está estreitamente relacionado com a qualidade dos frutos, em particular cor da casca, aroma, tamanho e teor de sólidos solúveis. Influencia ainda a regulação de água na célula, controlando as perdas de água das folhas através da transpiração. É o nutriente mais importante em termos de produção e qualidade de frutos. No entanto, o excesso desse nutriente pode causar desbalanço nos níveis de cálcio e magnésio, causando, ainda, queima nas margens e ápice das folhas velhas.

Molibdênio

A planta requer doses mínimas de molibdênio, mas este elemento é essencial para a absorção de nitratos. Sua deficiência ainda não foi reportada em mangueira.

Manganês

Componente essencial para formação da clorofila e para a formação, multiplicação e funcionamento do cloroplasto. Sua deficiência causa redução no crescimento, semelhante às deficiências de fósforo e magnésio. Folhas novas apresentam o limbo verde-amarelado sobre o qual destaca-se o reticulado verde das nervuras, porém mais grosso que no caso do ferro. Sua disponibilidade no solo é reduzida quando se realiza calagem e aplicação de altas doses de fósforo.

Cobre

O cobre é necessário à ativação de várias enzimas. As exigências da mangueira em cobre são pequenas, sendo que raramente ocorrem deficiências. Em alguns casos pode-se observar concentrações elevadas de cobre nas folhas, em conseqüência da aplicação de fungicidas e caldas a base de cobre, usados no controle de doenças. Esses produtos podem se acumular no solo, aumentando a sua disponibilidade para a planta.


Informações Complementares:

Adicionar à Pasta Nutrição, calagem e adubação São apresentadas informações sobre o efeito e funções dos nutrientes na cultura; amostragem e análise do solo; amostragem e análise da planta, calagem e o manejo de adubação envolvendo a fase de plantio, formação e produção. Mais Detalhes
  Hiperbólica
 

Pasta de documentos
Adicionar
Visualizar

  Informes
Embrapa Semi-Árido
Topo | Página Inicial | Voltar
Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária - Embrapa
Todos os direitos reservados, conforme Lei n° 9.610.
Embrapa
Parque Estação Biológica - PqEB s/n°.
Brasília, DF - Brasil - CEP 70770-901
Fone: (61) 3448-4433 - Fax: (61) 3347-1041