Imprimir Compartilhe









Comunicar Erro









 
 
 
ÁRVORE DO CONHECIMENTO Uva para Processamento      Equipe editorial Ajuda

Míldio

Autor(es): Rosemeire de Lellis Naves ; Lucas da Ressurreição Garrido

O míldio, doença de maior importância para a viticultura no Brasil, é também conhecido como mufa, mofo ou peronóspora e é causado pelo pseudofungo Plasmopara viticola. Os maiores prejuízos causados pela doença estão relacionados à destruição total ou parcial das inflorescências e/ou frutos e à queda prematura das folhas. O desfolhamento precoce causa danos à qualidade e à quantidade da produção do ano e enfraquecimento da planta para as safras futuras.

O patógeno afeta todas as partes verdes da planta. Nas folhas, inicialmente aparecem manchas amareladas, translúcidas contra o sol, denominadas de "mancha de óleo" (Figura 1A). Em condições de alta umidade relativa, na face inferior da folha, sob a mancha de óleo, observa-se um mofo branco que é a frutificação do pseudofungo (Figura 1B). Em seguida, o tecido foliar afetado necrosa e, quando o ataque é muito intenso, ocorre a desfolha precoce da planta. Os cachos são atacados desde antes da floração até o início da maturação. Quando o patógeno atinge as flores ou os frutos até o estádio de chumbinho, observa-se escurecimento do ráquis, o cacho pode ficar recoberto por uma massa branca (Figura 1D), secar e cair. Nas bagas mais desenvolvidas, o fungo penetra pelos pedicelos e se desenvolve no seu interior, tornando-as escuras (Figura 1C), duras, com superfície deprimida, destacando-se facilmente do cacho. A fase de maior susceptibilidade da cultura ao míldio compreende o período entre o início da brotação dos ramos até a fase "grão ervilha".

As condições climáticas ideais para o desenvolvimento da doença são temperaturas entre 18 °C e 25 °C e umidade relativa do ar acima de 60%. Todos os fatores que contribuem para aumentar o teor de água no solo, ar e planta favorecem o desenvolvimento do míldio da videira. Portanto, a chuva é considerada o principal fator epidemiológico por propiciar tais condições. A temperatura exerce papel moderador, paralisando o progresso da doença. Dificilmente ocorre infecção se a umidade do ar for inferior a 75%; porém, ela será grave quando o período de água livre for superior a três horas.

 Fotos: Olavo Roberto Sônego 
   
 
 

Figura 1. Sintomas de míldio: folha com manchas amareladas (A); " mofo branco" na face abaxial da folha (B); o fungo no pedicelo das bagas (C); cacho recoberto por massa branca devido ao míldio (D). 


Veja também
Tenha a Agência
EMBRAPA de Informação
Tecnológica no seu site!

Refine sua pesquisa usando a
BUSCA AVANÇADA.

Agência Embrapa de Informação Tecnológica
Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária - EMBRAPA
Todos os direitos reservados, conforme Lei no. 9.610.
EMBRAPA - Parque Estação Biológica - PqEB s/n°    
Brasília, DF - Brasil - CEP 70770-901 | SAC
Fone: (61) 3448-4433 - Fax: (61) 3347-1041