Imprimir Compartilhe









Comunicar Erro









 
 
 
ÁRVORE DO CONHECIMENTO Suinos      Equipe editorial Ajuda

Maternidade

Autor(es): Paulo Giovanni de Abreu

É a instalação utilizada para o parto e fase de lactação das porcas que, por ser a fase mais sensível da produção de suínos, deve ser construída atentando com muito cuidado para os detalhes. Qualquer erro na construção poderá trazer graves problemas, como de umidade (empoçamento de fezes e urina), esmagamento de leitões e calor ou frio em excesso, que provocam, como conseqüência, alta mortalidade de leitões. Na maternidade deve-se prever dois ambientes distintos, um para as porcas e outro para os leitões. Como a faixa de temperatura de conforto das porcas é diferente daquela dos leitões, torna-se obrigatório o uso do escamoteador para os leitões.

Maternidade em salas de parto múltiplas com parições escalonadas

As salas não podem ter comunicação direta entre si, recomendando-se o acesso a cada uma delas por meio de portas localizadas na lateral da instalação. É indispensável o uso de forro como isolante térmico e cortinas laterais para proporcionar melhores condições de conforto.

As celas parideiras devem ser instaladas ao nível do piso .O piso da gaiola de parição é dividido em 3 partes distintas, que são:

1)- local onde fica alojada a porca – parte dianteira com 1,30 m em piso compacto de concreto no traço 1:3:5 ou 1:4:8 de cimento areia grossa e brita 1, com 6 cm de espessura e, sobre esse é feita uma cimentação no traço 1:3 de cimento e áreia média na espessura de 1,5 a 2,5 cm, e parte de traseira com 90 cm, em ripado de concreto ou metal. Altura de 1,10 m e largura de 0,60 m.

2)- local onde ficam alojados os leitões, denominado escamoteador - construído em concreto como o anterior, localizado entre duas baias na parte frontal, com largura de 0,60 m e comprimento de 1,20 m.

3)- Laterais da baia onde os leitões ficam para se amamentar – um lado construído em concreto e o outro em ripado de concreto ou metal com 0,60 m de largura.

Área de parição

A área de parição pode ser em baias convencionais ou em celas parideiras. Nas baias convencionais há necessidade de dispor de maior espaço que, por outro lado, contribui para um maior conforto (bem estar animal) para as porcas. Essas baias devem ter, nas laterais, um protetor contra o esmagamento dos leitões e numa das laterais o escamoteador.Nas gaiolas metálicas as divisórias podem ser de ferro redondo de construção de 6,3 mm de diâmetro e chapas de 2,5 x 6,3 mm ou em uma estrutura de chapa de 2,5 x 6,3 mm e tela de 5 cm de malha. O escamoteador deve, em ambos os casos, ser dotado de uma fonte de aquecimento baseada em energia elétrica, biogás ou lenha.

As dimensões recomendadas para a área de parição em baias convencionais e celas parideiras são apresentadas na Tabela 1.

Tabela 1. Coeficientes técnicos indicados para as áreas de parição.

Cela Parideira

Área da cela parideiraSuperior a 3,96 m2
Espaço para a porca0,60 m x 2,20 m
Espaço para os leitões0,60 m de cada lado x 2,20 m de comprimento
Altura da cela parideira1,10 m
Altura das divisórias0,40 m a 0,50 m
Baia convencional
Área mínima do piso6 m2 (2,0 m x 3,0 m)
Altura do protetor contra esmagamento0,20 m
Distância do protetor da parede0,12 m
Escamoteador
Área mínima do piso 0,70 m2
Corredor de Serviço
Largura mínima1,0 m

Fonte: Adaptado de Oliveira et all (1993).

Veja também
Tenha a Agência
EMBRAPA de Informação
Tecnológica no seu site!

Refine sua pesquisa usando a
BUSCA AVANÇADA.

  Hiperbólica
  Hipertexto
  Links

Pasta de documentos

Agência Embrapa de Informação Tecnológica
Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária - EMBRAPA
Todos os direitos reservados, conforme Lei no. 9.610.
Política de Privacidade. sac@embrapa.br - 2005-2011
EMBRAPA - Parque Estação Biológica - PqEB s/n??.
Brasília, DF - Brasil - CEP 70770-901
Fone: (61) 3448-4433 - Fax: (61) 3347-1041