Imprimir Compartilhe









Comunicar Erro









 
 
 
ÁRVORE DO CONHECIMENTO Ovinos de Corte      Equipe editorial Ajuda

Ectima Contagioso

Autor(es): Antônio Cézar Rocha Cavalcante ; Francisco Selmo Fernandes Alves ; Raymundo Rizaldo Pinheiro ; Luiz da Silva Vieira ; Alice A. Pinheiro

É uma enfermidade cosmopolita sendo causada por um DNA vírus da família Roxviridae do gênero Parapoxvírus. Pode ser destruído pelo fenol a 5% ou 60°C por 30 minutos.  Acomete caprinos e ovinos, principalmente entre o terceiro e sexto mês de idade. Ela pode ser transmitida ao homem quando em contato com animais infectados, manifestando-se como uma erupção cutânea crônica, circunscrita, muito irritante, com tendência à hiperplasia. O contato direto ou indireto por utensílios ou pastagens contaminadas são as principais formas de disseminação da  enfermidade. Outro fator importante  é o agrupamento dos animais.

As crostas das feridas e pedaços de lesões revelam-se infectantes durante meses e até mesmo anos. É possível que o vírus se conserve viável e infectante de um ano para outro nas pastagens, nos utensílios ou nos cochos, o que favorece o surgimento de surtos, além da existência de portadores crônicos da doença, que a disseminam. As lesões são mais comumente observadas nas comissuras labiais. Nos casos mais graves, a infecção se estende até as gengivas, narinas, olhos, úbere, língua, vulva, região perianal, espaços interdigitais e coroas dos cascos. Como medidas preventivas e de controle aconselhas-se isolar os animais adquiridos por 2 a 3 semanas; fornecer o colostro aos filhotes; manter instalações limpas e desinfectadas; separar e tratar os animais doentes e vacinar os restantes;  em áreas endêmicas, vacinar as fêmeas prenhes de 2 a 3 semanas antes do parto e duas semanas após o parto. 

A melhor maneira de prevenir é através da vacinação, que confere imunidade por toda a vida. Esta vacina é preparada com vírus cultivados das crostas dissecadas (suspensão das crostas dissolvidas em 10% a 20% em glicerina). Ela é aplicada em cabritos de um a dois meses de idade na face interna da coxa. A associação de antibióticos (cloranfenicol ou oxitetraciclina) e violeta de genciana também é eficaz.  

Veja também
Tenha a Agência
EMBRAPA de Informação
Tecnológica no seu site!

Refine sua pesquisa usando a
BUSCA AVANÇADA.

  Hiperbólica
  Hipertexto
  Links

Pasta de documentos

Saiba Mais
Agência Embrapa de Informação Tecnológica
Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária - EMBRAPA
Todos os direitos reservados, conforme Lei no. 9.610.
EMBRAPA - Parque Estação Biológica - PqEB s/n°    
Brasília, DF - Brasil - CEP 70770-901 | SAC
Fone: (61) 3448-4433 - Fax: (61) 3347-1041