Imprimir Compartilhe









Comunicar Erro









 
 
 
ÁRVORE DO CONHECIMENTO Frango de Corte      Equipe editorial Ajuda

Socioeconomia

Autor(es): Dirceu João Duarte Talamini ; Franco Muller Martins ; Marcelo Miele ; Jonas Irineu dos Santos Filho

A avicultura, ano após ano, consolida-se como uma das mais importantes fontes de proteína animal para a população mundial. De acordo com números do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA), a produção mundial de frangos cresceu sistematicamente nos últimos 30 anos, passando de 7,47 milhões de toneladas em 1970 para 73,74 milhões de toneladas, no final da primeira década do século XXI.

A carne de frango é a mais democrática de todas, estando presente nas mesas de todos os países independentemente de religião, atendendo desde mercados de baixo valor agregado e pouco exigentes até mercados onde a qualidade e alta agregação de valor ao produto são diferenciais determinantes.

A evolução tecnológica na avicultura de corte tem sido marcante desde o início do século XX. Este processo teve início com o desenvolvimento dos conceitos de melhoramento genético de Mendel em 1920. A contribuição da genética, sanidade, ambiência, nutrição e da organização da produção proporcionaram essa evolução na produção da avicultura brasileira.

Esses avanços tecnológicos possibilitaram aumento de produtividade com a consequente e constante queda nos preços pagos pelos consumidores, viabilizando, assim, o grande crescimento no consumo - em 1974 pagou-se R$ 16, 44, e em 2009 R$ 4,13 por um Kg de frango limpo no varejo em São Paulo. Para muitos autores, esta capacidade de produzir e abastecer a sociedade com uma proteína animal cada vez mais barata foi determinante para o crescimento da sua demanda.

A produção de frangos no Brasil apresenta alto grau de organização e coordenação (Quadro 1). O sistema de produção dominante é o coordenado via contratos de integração dos produtos com a agroindústria, onde esta é a coordenadora dos processos.

 Quadro 1. Caracterização esquemática do Complexo Agroindustrial (CAI) do frango.

Atividade

Forma de Gerenciamento

Material Genético

Importado

Avozeiros

Integração vertical e terceiros

Matrizeiros

Integração vertical, parceria e terceiros

Ração

Integração vertical; aquisição de farelo de soja e milho; algumas empresas industrializam a soja, obtendo o farelo para a ração o óleo e a margarina

Produção do frango

Produtor integrado

Abatedouro

Coordenador do complexo agroindustrial.

Equipamentos

Terceiros

P & D

Integração vertical e terceiros (setor público e privado)

Cortes e Industrialização

Integração vertical (a partir dos anos 80)

Distribuição

Integração vertical e terceiros

Vendas a varejo

Terceiros

Mercado

Interno e Externo

Fonte: Santos Filho & Talamini, 1996. 

 

As obrigações e os direitos dos produtores rurais integrados, referidos no contrato de  integração resumidamente, são geralmente os seguintes:

1- fornecer instalações, equipamentos, maquinaria, energia elétrica, água, cama e mão de obra;

2 - ficar com o direito de uso ou comercialização da cama no final do lote;

3 - obedecer às instruções dos técnicos das integradoras e entregar para a integradora, na época por ela determinada, os frangos prontos para abate;

4 - Comunicar o aparecimento de qualquer doença ou anormalidade no aviário;

5 - fornecer equipe para lavagem e desinfecção do galpão, vacinação e apanha de frangos (atualmente a apanha de frango esta sendo paga parcial ou totalmente pela maioria das agroindústrias);

6 - fornecer gás para aquecimento e suprir a necessidade de equipamento de emergência;

7 - proceder à profilaxia eficiente e rígida.

Resumidamente, as obrigações das integradoras são as seguintes:

1 - entregar os pintos, ração e medicamentos e fazer o acompanhamento técnico;

2 - elaborar tabela que permita ao integrado ser remunerado e continuar na atividade;

3 - visitar regularmente a granja para orientar e corrigir falhas;

4 - transportar ou receber e transportar os frangos.

Veja também
Tenha a Agência
EMBRAPA de Informação
Tecnológica no seu site!

Refine sua pesquisa usando a
BUSCA AVANÇADA.

Agência Embrapa de Informação Tecnológica
Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária - EMBRAPA
Todos os direitos reservados, conforme Lei no. 9.610.
EMBRAPA - Parque Estação Biológica - PqEB s/n°    
Brasília, DF - Brasil - CEP 70770-901 | SAC
Fone: (61) 3448-4433 - Fax: (61) 3347-1041