Imprimir Compartilhe









Comunicar Erro









 
 
 
ÁRVORE DO CONHECIMENTO Coco      Equipe editorial Ajuda

Fibra de coco na Indústria

Autor(es): Maria Urbana de Correa

No passado, a casca de coco (fonte da fibra) era tratada como lixo ou material residual, mas com a evolução dos conhecimentos técnico-científicos, esse material passou a ter várias utilidades. As características da fibra, como coloração uniforme, elasticidade, durabilidade e resistência à tração e à umidade, oferecem muitas possibilidades de utilização como matéria-prima natural para a indústria.

Pelo processamento industrial apropriado, a fibra pode ser extraída e convertida em uma grande variedade de produtos. Da fibra longa, da Índia, são produzidos fios manualmente ou por máquinas simples, os quais são exportados ou usados localmente para a fabricação de esteiras, cordas, tapetes e outros produtos. A fibra marrom longa passa por diversos processos industriais, como lavagem, corte, estiramento, branqueamento e tintura, antes de ser usada na fabricação de produtos diversos, como escovas usadas no processo de beneficiamento de frutas, pincéis, vassouras, cordas e outros. A mais recente prova da versatilidade do produto, resultante da impregnação com látex, é a fibra emborrachada, usada na manufatura de colchões de mola, estofamento de carros, almofadas, etc. Graças à extraordinária elasticidade e resistência, a sua aplicação na indústria como material de acolchoamento parece ilimitada, sendo usada nas indústrias automobilística, de ar condicionado e de instalações acústicas. As fibras mistas (longas e curtas) têm utilidades na fabricação de placas usadas como isolante térmico e acústico; placas de conglomerados; e em estofamento de bancos de carro (Figura 1). A fibra curta é também utilizada na fabricação de capachos (Figura 2) e esponjas (Figura 3).

 

                             Foto: Maria Urbana Corrêa Nunes, 2006           

                              

                                     Figura 1.  Escova, capacho e  vassouras de fibra  de casca de coco  

 

                           Foto: Maria Urbana Corrêa Nunes, 2006

                          

                          Figura 2. Banco  de   carro  fabricado  com fibra  marrom, longa e  curta.

                                 

                          Foto: Maria Urbana Corrêa Nunes, 2006                        

                           

                         Figura 3 .  Esponjas de fibra de coco

 

A alta resistência à decomposição pela água ou pela ação bacteriana, adicionada à facilidade de impregnação com alcatrão ou com produto similar, aumentando sua flexibilidade, torna a fibra um material apropriado à proteção de tubos, cabos subterrâneos e outros produtos similares.

O alto conteúdo de lignina da casca torna o produto indicado também para a manufatura de plástico e a produção de substâncias usadas como adesivos e emulsificantes. A casca é uma fonte natural de tanino para a produção de adesivos para madeira. Trabalhos de pesquisa desenvolvidos nas Filipinas relatam um teor de 8% de tanino na casca de coco.


Veja também
Tenha a Agência
EMBRAPA de Informação
Tecnológica no seu site!

Refine sua pesquisa usando a
BUSCA AVANÇADA.

  Hiperbólica
  Hipertexto
  Links

Pasta de documentos

Agência Embrapa de Informação Tecnológica
Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária - EMBRAPA
Todos os direitos reservados, conforme Lei no. 9.610.
EMBRAPA - Parque Estação Biológica - PqEB s/n°    
Brasília, DF - Brasil - CEP 70770-901 | SAC
Fone: (61) 3448-4433 - Fax: (61) 3347-1041