Imprimir Compartilhe









Comunicar Erro









 
 
 
ÁRVORE DO CONHECIMENTO Cana-de-Açucar      Equipe editorial Ajuda

Fenologia

Autor(es): Fábio Ricardo Marin

A fenologia estuda as mudanças exteriores (morfologia) e as transformações que estão relacionadas ao ciclo da cultura. Representa, portanto, o estudo de como a planta se desenvolve ao longo de suas diferentes fases: germinação (Figura 1), emergência, crescimento e desenvolvimento vegetativo, florescimento (Figura 2), frutificação, formação das sementes e maturação.

 

Fig. 1. Aparecimento das raízes da cana-de-açúcar.
Foto: Raffaella Rossetto. 

 


Fig. 2. Inflorescência da cana.
Foto: Patrícia Cândida Lopes.

Com todas as informações disponíveis sobre o ciclo da planta, é possível identificar as relações e a influência dos fatores envolvidos no processo de produção, favorecendo a previsão de problemas, o manejo e a tomada de decisão.

Para favorecer a compreensão das fases de desenvolvimento (Figura 3), existe uma escala fenológica que se constitui em um conjunto de fases apresentadas em seqüência, de forma a descrever o crescimento e o desenvolvimento desde sua emergência até a maturação.


Fig. 3. Fases do desenvolvimento da cana.
Fonte: Gascho & Shih (1983).

Os estágios fenológicos da cana-de-açúcar são os seguintes:
  • brotação e emergência;
  • perfilhamento;
  • crescimento dos colmos;
  • maturação dos colmos.

Brotação e emergência

O broto rompe as folhas da gema e se desenvolve em direção à superfície do solo. Ao mesmo tempo surgem as raízes do tolete. A emergência do broto ocorre de 20 a 30 dias após o plantio. O broto é um caule em miniatura que surge acima da superfície do solo (chamado de colmo primário). Esta fase depende da qualidade da muda, ambiente, época e manejo do plantio. Neste estágio ocorre, ainda, o enraizamento inicial (duas a três semanas após a emergência) e o aparecimento das primeiras folhas.

 
Perfilhamento

Início do perfilhamento e formação da touceira: Perfilhamento é o processo de emissão de colmos por uma mesma planta, os quais recebem a denominação de perfilhos. O processo de perfilhamento é regulado por hormônios e resulta no crescimento de brotos que vão em direção à superfície do solo. Esses brotos aparecem de 20 a 30 dias após a emergência do colmo primário. Por meio desse processo, ocorre a formação da touceira da cana-de-açúcar e a população de colmos que será colhida. É importante destacar que a formação do sistema radicular da touceira é resultado do desenvolvimento das raízes de cada perfilho.

Auge do perfilhamento: É quando ocorre a total cobertura do solo pela folhagem das plantas. Cada touceira possui o máximo de perfilhos.

Crescimento dos colmos   

A partir do auge do perfilhamento, os colmos sobreviventes continuam o crescimento e desenvolvimento, ganhando altura e iniciando o acúmulo de açúcar na base. O crescimento é estimulado por luz, umidade e calor. Durante essa fase, as folhas mais velhas começam a ficar amareladas e secam.

Crescimento radicular vigoroso:
O crescimento do sistema radicular torna-se mais intenso, tanto nas laterais quanto em profundidade. A maior parte das raízes estão nos primeiros 40 centímetros de profundidade, sendo esta a zona principal no que concerne a absorção de água e nutrientes por parte da cultura.

Definição da população final de colmos: O canavial pode atingir altura acima de três metros, com a população final de colmos, variando em função das condições de clima e solo.

Maturação dos colmos

Maturação inicial: A maturação inicia-se junto com o crescimento intenso dos colmos sobreviventes do perfilhamento das touceiras. É válido mencionar, novamente, que o excesso de açúcar permanece armazenado na base de cada colmo.

Maturação do terço médio:
Quando as touceiras atingem altura igual ou superior a dois metros, nota-se o amarelecimento e a conseqüente seca das folhas que se encontram na altura mediana da planta, indicando que já está sendo depositado açúcar nessa região.

Maturação final: No período entre o outono e o inverno, com a presença de chuvas variáveis e temperaturas mais baixas, existe maior atividade de maturação e menor atividade de crescimento, sendo que há intenso armazenamento de açúcar.

Momento de colheita

É definido em função da variedade, época de plantio e conseqüente duração do ciclo (Tabela 1), manejo da maturação  e condições climáticas no ambiente.

Tabela 1. Duração do ciclo da cana-de-açúcar em função do
planejamento da época de plantio.


Fonte consultada:

GASCHO, G. J.; SHIH, S. F. Sugarcane. In: TEARE, I. D.; PEET, M. M. (Ed.). Crop-water relations. New York: Wiley-Interscience, 1983. p. 445-479.

Veja também
Tenha a Agência
EMBRAPA de Informação
Tecnológica no seu site!

Refine sua pesquisa usando a
BUSCA AVANÇADA.

  Hiperbólica
  Hipertexto
  Links

Pasta de documentos

Saiba Mais
Agência Embrapa de Informação Tecnológica
Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária - EMBRAPA
Todos os direitos reservados, conforme Lei no. 9.610.
EMBRAPA - Parque Estação Biológica - PqEB s/n°    
Brasília, DF - Brasil - CEP 70770-901 | SAC
Fone: (61) 3448-4433 - Fax: (61) 3347-1041