Imprimir Compartilhe









Comunicar Erro









 
 
 
ÁRVORE DO CONHECIMENTO Arroz      Equipe editorial Ajuda

Sistema de cultivo

Autor(es): Alberto Baêta dos Santos

O arroz é considerado o produto de maior importância econômica em muitos países em desenvolvimento, constituindo-se alimento básico para cerca de 2,4 bilhões de pessoas. É uma cultura que apresenta grande capacidade de se adaptar a diferentes condições de solo e clima. Cultivado e consumido em todos os continentes, o arroz se destaca pela produção e área de cultivo, desempenhando papel estratégico tanto em nível econômico quanto social para os povos das nações mais populosas da Ásia, África e América Latina. Comparado com as demais culturas, o arroz se destaca em segundo lugar em extensão de área cultivada e é superado apenas pelo trigo.

Ecossistemas

São considerados dois grandes ecossistemas para a cultura, que são o de várzeas e o de terras altas, englobando todos os sistemas de cultivo de arroz no país, sendo os principais o irrigado por inundação e o de sequeiro. Esse último é caracterizado pela condição aeróbica de desenvolvimento da raiz da planta, ao passo que, sob condições de solo inundado, a consequente criação de uma condição anaeróbica implica uma série de transformações que influenciam não só o desenvolvimento da planta de arroz como também a absorção de nutrientes e o manejo do solo.

Ecossistema várzeas

No Brasil, a maior parcela da produção de arroz do país é proveniente do ecossistema várzeas, onde a orizicultura irrigada é responsável por 75% da produção nacional, sendo considerada um estabilizador da safra nacional, uma vez que não é tão dependente das condições climáticas como no cultivo de sequeiro.
Na região subtropical do Brasil, na qual se localizam os estados do Rio Grande do Sul e Santa Catarina, nas últimas safras, foram cultivados cerca de um milhão e trezentos mil hectares de arroz irrigado, por ano. Esses dois estados contribuíram com mais de 63% para a formação do estoque nacional de arroz, algo ao redor de 12,5 milhões de toneladas.
A orizicultura gaúcha caracteriza-se pela predominância do cultivo irrigado extensivo, dentro de um sistema empresarial, exercido principalmente por grandes e médios produtores, onde é tradicionalmente conduzida em rotação com pastagem. Além do sistema tradicional de cultivo, são empregados o cultivo mínimo, o plantio direto e o pré-germinado. No Rio Grande do Sul, o arroz irrigado é cultivado nas seguintes regiões: Fronteira Oeste, Depressão Central (Figura 1), Campanha, Sul, Costa Externa da Lagoa dos Patos e Costa Interna da Lagoa dos Patos.


Figura 1. Vista geral de lavouras de arroz irrigado na região da Depressão Central do Estado do Rio Grande do Sul, Município de Agudo.
Foto: José Francisco da Silva Martins

O cultivo no Estado de Santa Catarina concentra-se no baixo e médio vale do Itajaí e no litoral norte e ocupa o segundo lugar na produção de arroz irrigado. Contrária à orizicultura gaúcha, a catarinense caracteriza-se pela presença de pequenas propriedades e pelo sistema de plantio com sementes pré-germinadas, 98%, que apresenta como vantagens: permite o preparo do solo e a semeadura mesmo em dias chuvosos; controle do arroz vermelho; menor requerimento de herbicidas devido ao melhor controle das plantas daninhas; maior eficiência no uso de máquinas; e redução dos tratos culturais pela sistematização e nivelamento do solo.
Na região tropical (Figura 2), a área cultivada com arroz irrigado é ao redor de 13% apenas, o que proporciona cerca de 11% da produção total brasileira nesse ecossistema. A planície sedimentar da Bacia do Araguaia, no Tocantins, ocupa cerca de 1,2 milhão de hectares. O vale do Araguaia constitui-se em uma das regiões mais promissoras para a expansão da orizicultura brasileira, com condições para atendimento do mercado das Regiões Norte, Nordeste, Centro-Oeste e Sudeste. O cultivo da soca tem se mostrado como uma das alternativas viáveis para aumentar a produtividade de grãos na região tropical. Nos perímetros irrigados da Região Nordeste são empregados os sistemas de plantio com semente seca, pré-germinada e o transplantio (Figura 3).
 
 
Figura 2. Cultivo de arroz irrigado na região tropical, município de Lagoa da Confusão, no Tocantins.
Foto: Alberto Baêta dos Santos
 

Figura 3. Cultivo de arroz irrigado por transplantio na vazante do Açude de Orós, no Ceará.
Foto: Alberto Baêta dos Santos

ECOSSISTEMA TERRAS ALTAS

No sistema de terras altas, o arroz pode ser cultivado com irrigação suplementar por aspersão (Figura 4) ou sem irrigação (Figura 5), ou seja, a disponibilidade de água para a cultura é totalmente dependente da ocorrência de chuva. O sistema de cultivo de arroz com irrigação por aspersão caracteriza-se pelo intenso uso do solo, com rotação de culturas e elevado uso de tecnologia. Os plantios feitos na estação chuvosa, durante os meses de outubro a maio, fazem uso da irrigação de forma suplementar. No início do período “das águas”, a ocorrência de chuva é incerta e, em janeiro e fevereiro, podem  acontecer períodos de estiagem, denominados veranicos.

 

 
Figura 4. Cultivo de arroz de terras altas com irrigação por aspersão.
Foto: Sebastião Araújo

 

 
Figura 5. Cultivo de arroz de sequeiro sem irrigação. 
Foto: Emílio da Maia de Castro
Veja também
Tenha a Agência
EMBRAPA de Informação
Tecnológica no seu site!

Refine sua pesquisa usando a
BUSCA AVANÇADA.

Agência Embrapa de Informação Tecnológica
Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária - EMBRAPA
Todos os direitos reservados, conforme Lei no. 9.610.
Política de Privacidade. sac@embrapa.br - 2005-2011
EMBRAPA - Parque Estação Biológica - PqEB s/n??.
Brasília, DF - Brasil - CEP 70770-901
Fone: (61) 3448-4433 - Fax: (61) 3347-1041