Link para o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento
Link para o Portal do Governo Brasileiro

 

Manejo da fertirrigação

Autor(es):  José Maria Pinto Luís Henrique Bassoi José Monteiro Soares

  Buscar  

 

   Busca Avançada

Fertirrigação é uma técnica de aplicação simultânea de fertilizantes e água, através de um sistema de irrigação. É uma das maneiras mais eficientes e econômicas de aplicar fertilizante às plantas, principalmente em regiões de climas árido e semi-árido, pois aplicando-se os fertilizantes em menor quantidade por vez, mas com maior freqüência, é possível manter um teor uniforme de nutrientes no solo durante o ciclo da cultura, o que aumentará a eficiência do uso de nutrientes pelas plantas e, conseqüentemente, a produtividade.

Quando se prepara uma solução de fertilizantes envolvendo mais de um tipo de fonte de nutrientes, deve-se verificar se são compatíveis, para evitar problemas de entupimentos das tubulações, e emissores. O cálcio, por exemplo, não pode ser injetado com um fertilizante que contém sulfato. Esses cuidados devem ser ainda maiores, quando a água usada na irrigação tem pH de neutro a alcalino, ou seja, quando as concentrações de Ca + Mg e de bicarbonatos são maiores que 50 e 150 ppm, respectivamente. O ácido fosfórico não pode ser injetado via água de irrigação que contenha mais que 50 ppm de cálcio e nitrato de cálcio e em água que contenha mais de 5,0 meq.L-1 de HCO3-, pois poderá formar precipitados de fosfato de cálcio.

Compatibilidade entre os fertilizantes empregados na fertirrigação.
Fertilizante
UR
NA
SA
NC
NK
CK
SK
FA
MS
MQ
SM
AF
AS
AN
Uréia (UR)
 
C
C
C
C
C
C
C
C
C
C
C
C
C
Nitrato de Amônio (NA)
 
 
C
C
C
C
C
C
C
C
C
C
C
C
Sulfato de Amônio (SA)
 
 
 
I
C
C
SR
C
C
C
C
C
C
C
Nitrato de Cálcio (NC)
 
 
 
 
C
C
I
I
I
SR
I
I
I
C
Nitrato de Potássio (NK)
 
 
 
 
 
C
C
C
C
C
C
C
C
C
Cloreto de Potássio (CK)
 
 
 
 
 
 
SR
C
C
C
C
C
C
C
Sulfato de Potássio (SK)
 
 
 
 
 
 
 
C
SR
C
SR
C
SR
C
Fosfatos de Amônio: MAP e DAP(FA)
 
 
 
 
 
 
 
 
I
SR
I
C
C
C
Fe, Zn, Cu, Mn, Sulfato (MS)
 
 
 
 
 
 
 
 
 
C
C
I
C
C
Fe,Zn,Cu, Mn, Quelato (MQ)
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
C
SR
C
I
Sulfato de Magnésio (SM)
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
C
C
C
Ácido fosfórico (AF)
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
C
C
Ácido sulfúrico (AS)
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
C
Ácido nítrico (AN)
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
1C = compatível; SR = solubilidade reduzida; I = incompatível.
Fonte: Villas Bôas et al. (1999).

Os procedimentos adequados para aplicação de fertilizantes via água de irrigação compreendem três etapas distintas. Durante a primeira etapa, deve-se funcionar o sistema de irrigação durante um quarto do tempo de irrigação, para equilibrar hidraulicamente as unidades de rega como um todo. Na segunda etapa, faz-se a injeção dos fertilizantes no sistema de irrigação, através de equipamentos apropriados. Na terceira etapa, o sistema deverá continuar funcionando, visando à complementação do tempo total de irrigação, lavagem completa do sistema e carrear os fertilizantes da superfície para camadas mais profundas do solo.
A fertirrigação depende da taxa de injeção de fertilizantes, do tempo de irrigação por unidade de rega e dos tipos e doses de fertilizantes por unidade de rega. Deve-se considerar também as variedades utilizadas e suas respectivas fases fenológicas.
Como regra geral, dependendo da complexidade do desenho do sistema de irrigação com relação à fertirrigação, recomenda-se iniciar o processo com fertilizante potássico, seguido dos nitrogenados, administrando-se as quantidades aplicadas por unidade de rega, com base no tempo de irrigação. As propriedades que utilizam o ácido fosfórico como fonte de fósforo, devem aplicá-lo no final da fertirrigação, pois pode, também, proporcionar a limpeza do sistema. Caso os fertilizantes sejam aplicados na forma de mistura, as soluções devem ser preparadas em separado e misturadas, na proporção desejada, de acordo com as necessidades nutricionais das plantas.
Uma alternativa mais recente, no sentido de amenizar a complexidade da injeção de fertilizantes, via água de irrigação, é a utilização de adutoras secundárias, paralelas às adutoras das unidades de rega, cuja finalidade é transportar a solução ou mistura concentrada até a entrada da unidade de rega específica. Porém, é necessário que em cada unidade de rega, a injeção da solução seja feita nos dois quartos intermediários do tempo de irrigação, pois a permanência do nitrogênio na tubulação, após a fertirrigação, pode favorecer o desenvolvimento de microorganismos que causam a obstrução dos emissores.


Informações Complementares:

Adicionar à Pasta Irrigação As informações sobre profundidade de enraizamento, consumo de água e coeficiente de cultura devem ser consideradas em um manejo de irrigação criterioso. No Vale do São Francisco, a cultura da mangueira é manejada com a aplicação de reguladores de crescimento e estresse hídrico. O que predispõe as plantas ao florescimento no primeiro semestre e a colheita no segundo semestre de cada ano. Mais Detalhes
  Hiperbólica
 

Pasta de documentos
Adicionar
Visualizar

  Informes
Embrapa Semi-Árido
Topo | Página Inicial | Voltar
Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária - Embrapa
Todos os direitos reservados, conforme Lei n° 9.610.
Política de Privacidade. sac@embrapa.br
2005-2007
Embrapa
Parque Estação Biológica - PqEB s/n°.
Brasília, DF - Brasil - CEP 70770-901
Fone: (61) 3448-4433 - Fax: (61) 3347-1041