Link para o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento
Link para o Portal do Governo Brasileiro

 

Campo Sujo

Autor(es):  José Felipe Ribeiro Bruno Machado Teles Walter

  Buscar  

 

   Busca Avançada

 

VEGETAÇÃO CAMPESTRE

 

CAMPO SUJO

Fotografia demonstrativa do tipo de vegetação campestre Campo Sujo .

Foto: José Felipe Ribeiro

Principais Características

O Campo Sujo é um tipo fisionômico exclusivamente arbustivo-herbáceo, com arbustos e subarbustos esparsos cujas plantas são menos desenvolvidas que as árvores do Cerrado sentido restrito.

Este tipo de vegetação é encontrado em solos rasos, eventualmente com pequenos afloramentos rochosos de pouca extensão (sem caracterizar um Campo Rupestre ), ou ainda em solos profundos e de baixa fertilidade (álicos ou distróficos).

Em função de particularidades ambientais, o Campo Sujo pode apresentar três subtipos fisionômicos distintos. Na presença de um reservatório subterrâneo de água (lençol freático) profundo, ocorre o Campo Sujo Seco. Se o lençol freático é alto, próximo da superfície do solo, há o Campo Sujo Úmido. Quando na área ocorrem microrrelevos mais elevados (murundus), tem-se o Campo Sujo com Murundus.

Espécies mais freqüentes

As famílias de maior destaque são Poaceae (Gramineae), com espécies dos gêneros Aristida, Axonopus, Echinolaena, Ichnanthus, Loudetiopsis, Panicum, Paspalum, Trachypogon e Tristachya, além de Asteraceae, com Aspilia, Baccharis, Calea, Chromolaena, Vernonia (sensu lato) e Wedelia, dentre outros. Outra família importante é Cyperaceae, com os gêneros Bulbostylis e Rhyncosphora, todas com aspecto graminóide (Warming, 1973), além de espécies das famílias Leguminosae (Andira, Mimosa), Lamiaceae (Hyptis), Myrtaceae e Rubiaceae. Várias espécies de outras famílias se destacam pela floração exuberante na época chuvosa, ou mesmo logo após queimadas, como Alstroemeria spp., Gomphrena officinalis, Griffinia spp., Hippeastrum spp e Paepalanthus spp.. Além dessas são comuns espécies dos gêneros Crumenaria, Cuphea, Deianira, Diplusodon, Eryngium, Habenaria, Lippia, Polygala, Piriqueta, Syagrus e Xyris.

A composição da flora e a importância das populações das espécies nos três subtipos de Campo Sujo pode diferir se o solo for bem drenado (Campo Sujo Seco) ou mal drenado (Campo Sujo Úmido ou com Murundus). Mas, ainda assim, as espécies características pertencem aos gêneros listados acima.

Ilustração

Diagrama de perfil (1) e cobertura arbórea (2) de um Campo Sujo representando uma faixa de 40 m de comprimento por 10 m de largura, onde a porção (a) mostra a vegetação em local seco, (b) em local úmido e (c) em local mal drenado com murundus.

Ilustração: Wellington Cavalcanti


Informações Complementares:

Adicionar à Pasta Composição de espécies vasculares de campo sujo e campo úmido em área de cerrado, Itirapina – SP, Brasil Foi estudada a composição florística de uma área de cerrado na região de Itirapina - SP (22°15’43’’-50’’ S e 47°53’- 54’ W), onde ocorrem fisionomias de campo sujo e campo úmido. Visando estabelecer uma melhor distinção entre estas fisionomias, foi realizado o levantamento florístico que incluiu coletas em excursões mensais no período de março de 1998 a abril de 1999, além de coletas es Mais Detalhes
  Hiperbólica
 

Pasta de documentos
Adicionar
Visualizar

  Informes
Embrapa Cerrados
Cerrado Brasil
Topo | Página Inicial | Voltar
Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária - Embrapa
Todos os direitos reservados, conforme Lei n° 9.610.
Embrapa
Parque Estação Biológica - PqEB s/n°.
Brasília, DF - Brasil - CEP 70770-901
Fone: (61) 3448-4433 - Fax: (61) 3347-1041